topo

Postado em 03 de Maio de 2020 às 09h00

E-commerce já para o setor moveleiro!

Atualmente o mercado de móveis e o de decoração online (e-commerce) estão entre os mais potentes quando o assunto é comércio eletrônico.
Segundo o último relatório WebShoppers, produzido pelo E-bit, os mesmos já são responsáveis por 9,8% do volume total dos pedidos online.
E não para por aí, comprar móveis e objetos de decoração já é também a 5ª potência em volume financeiro, respondendo no ano de 2018, por 7,7% dos valores transacionados em e-commerce.

E se atualmente temos mudanças em todos os setores no que se refere principalmente ao formato de compra e venda de produtos e serviços, está na hora de repensar os hábitos de consumo deste público que consome móveis e objetos de decor via internet.
Sair de casa, pegar trânsito e gastar combustível, parece não fazer muito mais sentido para o cliente que busca praticidade e economia e frente a isto, o lojista moveleiro deve atentar-se para embarcar e adequar-se ao mundo digital o quão antes.
Você sabia que somente em fevereiro deste ano foram comercializados em torno de 28 milhões de móveis?
Este volume em vendas, mostra um mercado aquecido e cheio de possibilidades para quem tem uma loja física, podendo aumentar seu ganhos e ganhando escala de negócio com a utilização do comércio eletrônico.

A partir disto, é imprescindível pensar que além de aquecido, este mercado é também promissor e que o número de consumidores que busca comprar online e a facilidade de aplicativos para fazê-los, só cresce.
E se o consumidor já entendeu que em muitos momentos o valor de uma operação online é muito mais em conta do que na loja física, visto que o lojista evita desta forma encargos com pessoal, espaço físico, dentre outros, ele vai sempre preferir diante desta lógica, continuar operando, comprando no e-commerce.
Mas atenção ao criar uma loja virtual, alguns pontos devem ser pensados com cautela, tais como investimento em marketing, logística, atendimento ao cliente, segurança nas transações eletrônicas e tendências de consumo em geral para não permanecer com estoque alto, por exemplo.

Além destes pontos, é de suma importância deixar claro para o usuário do e-commerce que sua loja oferecerá inclusive garantias de trocas de produtos e que exista um canal direto de comunicação para o momento em que ele precisar.
E como as compras efetuadas em ambiente eletrônico só evoluem, se faz necessário também pensar que para que a compra no setor moveleiro. Assim como de outros bens de consumo de alto valor, seja efetuada, a mesma muitas vezes depende de linhas de crédito e investimentos mais altos, por isso estar atento à situação econômica do país também é importante.

Diversos segmentos têm encontrado no comércio eletrônico boas oportunidades e estar de olho no que anda acontecendo neste mercado é primordial para que varejista façam corretamente seus investimentos e direcione esforços de acordo com as demandas existentes.

Lembre-se de ter um sistema de gestão que contribua para a organização e otimização dos seus processos, para que seu negócio decole e em grande escala e com maiores resultados quando trata-se de e-commerce.

Veja também

WhatsApp e Telegram: ferramentas indispensáveis para sua loja!18/02 As vendas online são uma realidade e caso sua loja ainda não tenha tido tempo de se adaptar, essa é a hora, afinal, ambos aplicativos se tornaram aliados na comercialização de produtos e serviços, principalmente em tempos de plena ebulição do setor de e-commerce no Brasil. Dados disponibilizados pelo movimento “Compre &......
O Consumidor de Móveis e seu Comportamento21/08/19 A venda de móveis é uma tarefa que requer estar sempre atento às tendências, bem como conhecer seu público consumidor de móveis e seu comportamento, extremamente exigente. E em uma fase econômica turbulenta......
Métodos de pagamento: 6 aspectos para definir o melhor para sua loja!21/06/20 A definição dos métodos de pagamento é fator determinante para gerar mais vendas em qualquer tipo de negócio. Deste modo, todo gestor que tem como foco a parte financeira da empresa, deve ter o entendimento não......

Voltar para Blog do Lojista